O Bullying

  • Artigo publicado em: 12 maio, 2009
  • Categorias:

Em Caminho das Índias, o personagem Indra (André Arteche), é um adolescente que tem entre 17 e 18 anos e é descendente de indianos. Indra sofre com o assédio e com a violência vinda de seus colegas de escola. Essa condição é denominada de bullying, do inglês, que consiste no conjunto de atos e ações violentas cometidos por crianças e adolescentes contra seus semelhantes. A pessoa que sofre esse tipo de violência geralmente tem alguma característica que a difere das demais. Pode ser pelo peso, altura, por usar óculos, por ter muitas espinhas, ou seja, por apresentar algo considerado diferente pelos outros. A violência quase sempre é cometida em grupo, dependendo é claro da faixa etária. No caso do personagem Indra a sua característica particular é sua nacionalidade e seus costumes. Isso é usado pelos intimidadores como foco da violência. Atos como violência física, intimidação, chantagem e assédio são praticados no bullying.

foto: divulgação

Outra forma muito comum, infelizmente, de bullying hoje em dia é o cyber bullying. Que nada mais é que o assédio e intimidação praticada pela internet. A sensação de anonimato por parte do agressor é um incentivo para essa prática. Os meios utilizados são principalmente as redes sociais, como o Orkut. O personagem Indra sofreu também com o cyber bullying, criaram uma página na internet contando mentiras sobre sua vida. Isso já gerou grandes problemas para o personagem.

A escola tem um papel fundamental no esclarecimento do bullying. Muitas vezes ele é praticado em ambiente escolar, sendo assim, todos devem participar das ações para solucionar essa questão. Não podemos também esquecer o papel insubstituível dos pais na educação. Deve caber a eles a instrução, colocação de limites, valores e a educação de seus filhos, não adianta empurrar essa responsabilidade para a escola. Como sabemos, o papel da escola é de educar e instruir para a vida, mas os pais que irão reforçar e incrementar esse repertório.

O bullying é um assunto que deve ser levado a sério por todos. Quem sofre com esse tipo de problema, geralmente sofre calado. As feridas abertas pelo bullying podem levar muito tempo para fechar. Muitos perdem a vontade de ir para a escola, e em casos mais graves, podem acabar desenvolvendo depressão. O importante é conversar com seus pais e seus professores (se estiver ocorrendo na escola) e dizer o que está acontecendo. Outra estratégia que muitos usam, é ignorar o agressor. Isso pode funcionar até certo ponto, ou quando a intimidação é apenas verbal. O problema é quando há violência física envolvida. Aí sim, a participação dos pais e da escola é mais importante ainda.

Em último caso ou em casos mais graves, a delegacia do adolescente (para o caso de menores) ou uma delegacia de polícia devem ser contatadas. Lá, o delegado ou o escrivão irão tomar as medidas cabíveis. Vale lembrar que casos de cyber bullying também podem ser denunciados às autoridades.


Agora, falando sobre o agressor, esse sim deve ser exemplarmente punido. A punição tem que vir em primeiro lugar dos pais, da escola (se ocorreu em ambiente escolar) e em último caso das autoridades. Se não há quem coloque limites no agressor, o Estado o fará. A prática do bullying causa uma falsa sensação de poder sobre o outro. E isso tem grande peso nas relações interpessoais e grupais. Para o grupo, o agressor deve ser respeitado pelo ato que cometeu. Isso não é regra, mas é bastante recorrente. O prestígio que causa intimidar ou violentar alguém, é algo um tanto quanto preocupante e para não dizer bizarro. Essas são as recompensas para o agressor, respeito e prestígio de um grupo e uma falsa sensação de poder.

Para quem sofre com o bullying, o importante é: Não sofra em silêncio!!

Até a próxima postagem!!

Fiquem à vontade para comentar!

Leonardo Fd Araujo CRP 08/10907
Psicólogo e Coach
Tel: 3093-6222

Rua Padre Anchieta, nº 1923, sala 909
Bigorrilho – Curitiba

Comentários

comentários