Rapaz se suicida após ter imagens íntimas publicadas na internet

  • Artigo publicado em: 1 outubro, 2010
  • Categorias:
O jovem Tyler Clementi, de 18 anos, estudava e morava no campus de uma universidade em Nova Jersey – Eua. O dormitório era dividido com o colega de quarto Dharum Ravi. Certo dia, o jovem pediu a Ravi, um pouco de privacidade. Ele atendeu, mas deixou uma webcam ligada no quarto. As imagens gravadas mostravam Tyler beijando outro rapaz. As cenas foram parar na internet.
Inconformado, o jovem que teve a sua privacidade violada deixou uma mensagem na internet e se jogou de uma ponte. Segundo reportagem do Jornal Hoje (Tv Globo), o jovem Tyler era tímido e que provavelmente nunca havia falado com a sua família sobre sua opção sexual.
Esse caso retrata o lado mais sombrio do bullying, como se deu na internet, denominamos de cyberbullying. Os “colegas” do jovem que teve sua privacidade violada, na verdade cometeram um crime. Ninguém tem o direito de violar a privacidade de ninguém. O que você faz dentro de sua casa, é de inteiro interesse seu, de mais ninguém. Sem contar que no caso em questão o jovem havia pedido privacidade ao seu colega de quarto. Qualquer pessoa com o mínimo de senso crítico entenderia o recado. O pior de tudo é que não se trata de pessoas pouco esclarecidas, estamos falando de universitários
Cabe agora a justiça americana apurar os fatos e punir os culpados. Não podemos ver casos como esse passando em branco. Não é a primeira vez que um caso de cyberbullying termina com suicídio. Em uma pesquisa rápida pude apurar outros casos, vejam:
Mas e o suicídio?
É mais do que evidente que as pessoas que sofrem esse tipo de violência ficam fragilizadas. Se houver alguma psicopatologia latente ou em curso, como a depressão, o risco de suicídio é muito alto. Vários outros fatores somados ao cyberbullying também podem contribuir para um fim trágico: baixa autoestima, estreitamento do círculo social, baixo nível de diálogo com familiares, abuso de drogas.
Mas o que é cyberbullying?
Nada mais é que o bullying no meio cibernético. Com o avanço da internet, os casos físicos passaram em parte para o virtual. Há diversas modalidades de cyberbullying, aqui vão algumas delas:
intimidação e ameaças (usar o pseudo anonimato da rede para ameaçar e intimidar os outros)
calúnia e difamação (inventar mentiras sobre alguém e sair espalhando pela rede)
publicação indevida de fotos e vídeos (como o caso relatado nesse post, as imagens do rapaz foram parar na internet sem sua autorização)
montagens com fotos (as vezes na brincadeira pegam uma foto um pouco mais descontraída e fazem uma montagem em cima, deturpando alguma característica da pessoa ou inventando algo)
Estou sofrendo de cyberbullying, o que devo fazer?
Como vimos, há diversos tipos de violência ligadas ao cyberbullying. O mais importante de tudo é buscar ajuda! Não sofra em silêncio!! Antes de qualquer coisa, divida a sua angústia com seus pais ou com alguém próximo que seja confiável, eles serão o seu porto seguro! Feito isso, caso fique decidido buscar os seus direitos, procure um advogado e também uma delegacia especializada em crimes virtuais (clique aqui e consulte). Se não houver uma em seu estado pode ser uma delegacia convencional. 
Com essas três medidas, você se sentirá um pouco mais seguro e ciente de seus direitos, e saberá se cabe ou não entrar com uma ação judicial contra o autor do cyberbullying.
Em relação ao aspecto emocional, é interessante procurar um profissional para desabafar. Os pais são sem dúvida um porto seguro, mas com o calor dos acontecimentos podem não ser bons ouvintes. O profissional psicólogo é uma pessoa neutra, não fará julgamentos de valor e muito menos dizer se você está certo ou errado, ou colocar o que você deveria ter feito. É importante botar para fora o que fica entalado na garganta, o efeito prático desse desabafo começa a ser sentido logo nas primeiras sessões de psicoterapia.
Então meus leitores, é isso. Cuidado com o cyberbullying. Se você estiver sofrendo com isso, peça ajuda! Procure os seus direitos! Se não estiver conseguindo se recuperar emocionalmente, procure um psicólogo para desabafar!
E também ouçam no post anterior uma verdadeira aula sobre o Bullying na Band News FM, com a participação de diversos profissionais e testemunhos.
Tenham todos um ótimo final de semana!
Leonardo Fd Araujo CRP 08/10907
Psicólogo e Coach
Tel: 3093-6222

Rua Padre Anchieta, nº 1923, sala 909
Bigorrilho – Curitiba

Comentários

comentários