Fechando 2017 com chave de ouro e planejando o seu 2018!

  • Artigo publicado em: 11 dezembro, 2017
  • Categorias:

Quando dezembro desponta no horizonte, uma coisa é certa, o ano está chegando ao fim. Com isso um misto de sentimentos começa a aparecer. Para algumas pessoas o clima é de fim de feira, contando os minutos para o ano acabar logo. Para outras é um momento cheio de possibilidades a serem aproveitadas.

O fato é que, muitas vezes, não nos damos conta de quanto de investimento pessoal e emocional fizemos no decorrer do ano. E fiquem tranquilos, é perfeitamente comum termos a ideia de que “não consegui fazer nada esse ano”. Pode ser um pouco de autosabotagem ou excesso de autocrítica, mas será que o seu ano foi tão ruim assim?

A minha proposta neste artigo é convidar você a mudar esse cenário, topa?

Vamos pensar um pouco em como funciona a carreira de um atleta. O ano é dividido entre treinamentos e competições. Quando o seu desempenho chega a um alto nível, o atleta ganha uma recompensa: um troféu ou medalha. São símbolos máximos do esporte, o reconhecimento público diante de todo o esforço que o atleta se submeteu para atingir esse nível de treinamento.

– Mas Leonardo, o que isso tem a ver comigo? Eu explico:  em nossa vida, também treinamos e competimos, várias vezes. A diferença é que, quando atingimos um nível alto, ou simplesmente concluímos uma meta importante, nem sempre há o reconhecimento público. Portanto, é importante que nós mesmos façamos esse processo. Não estou falando para você correr e comprar um troféu por que atingiu uma meta, mas sim da importância de que você reconheça que o seu esforço foi importante para atingir o seu objetivo.

O atleta tem uma parede de troféus e medalhas em casa, mas e nós? Você pode sim criar a sua própria parede com as suas conquistas. Conseguiu uma promoção no trabalho, que tal comprar um enfeite novo para sua mesa para que você sempre se lembre disso? Terminou de pagar as prestações de sua casa? Você pode fazer uma festinha em família para marcar a ocasião. São exemplos práticos de como colocar “troféus e medalhas” em nosso cotidiano.

Vamos lá. Estou oferecendo a você duas ferramentas de coaching que desenvolvi para trabalhar o fechamento de 2017 e para fazer o planejamento de 2018. Ah, e o melhor: são gratuitas! Então eu convido você a criar a sua própria parede de troféus, figurativamente é claro. Clique no link no final do artigo e baixe o arquivo,  imprima e podemos começar!

A primeira ferramenta é “Minha parede de troféus de 2017” | aqui você vai trabalhar as suas conquistas e desafios que aconteceram no decorrer deste ano. A segunda ferramenta é “Como será o meu 2018!” | aqui iremos trabalhar quais serão as metas para o ano que irá começar. Perceba que dividi as metas em três grupos: curto, médio e longo prazo. Como sugestão para começar, vá direto nas metas de curto prazo e comece por aquilo que está mais próximo de ser atingido.

O motivo disso é simples. Aquilo que está mais “no jeito” de ser concluído irá te animar a continuar com as outras metas mais complexas. Coloquei quatro metas por grupo, para começar está excelente. Se a sua lista ficar muito maior do que isso, cuidado, pois as chances de você se perder no caminho serão grandes. Convido você a baixar as ferramentas e aproveitar o momento para fechar o seu ano de 2017 e planejar objetivamente o ano de 2018 que está para começar. Clique na imagem abaixo e faça o download.

Duvidas, críticas e sugestões? Estou aqui para te ajudar. Pode me enviar um e-mail: atendimento@psicologoemcuritiba.com.br ou me mandar um Whats 41 – 9.9643-9560.

Até breve e boas festas!

Leonardo Fd Araujo | Psicólogo e Coach | CRP 08/10907

Faça as pazes com a pessoa mais importante do mundo: VOCÊ!

  • Artigo publicado em: 24 outubro, 2017
  • Categorias:

Onde dói? Onde fica a dor da alma? Não sabemos ao certo, mas temos sensações no corpo a cada vez que passamos por isso. Uns dizem que sentem um aperto no peito, outros um embrulho no estômago e mais alguns relatam um “bolo” preso na garganta.

Convido você a visitar esse sentimento pesado por um instante. Sim, que tal dialogar com ele? Por que será que você está se sentindo assim? Precisamos prestar atenção às sutilezas de nossas vidas, embarcar em momentos lindos e agradáveis para que tudo fique mais leve e feliz. Aí eu pergunto, o que era aquela dor que você estava sentindo mesmo?

Uma das hipóteses é que, em algum momento de sua caminhada, você tenha brigado consigo mesmo, sim! Já vi várias pessoas que chegam ao meu consultório em frangalhos após uma briga interna. Agora eu te convido mais uma vez: que tal fazer as pazes com você?

Ter essa dor na alma é um sintoma de algo ficou pelo caminho. Pode ser que tenha começado através de outro alguém, mas só aí dentro de você é que fez o estrago! Que tal fazer as pazes com você hoje?? Conte comigo para isso, o psicólogo é um profissional especializado que atua para melhorar a qualidade de vida e a saúde emocional das pessoas.

O que é Coaching?

  • Artigo publicado em: 5 outubro, 2017
  • Categorias:
O Coaching é processo estruturado que conta com técnicas e ferramentas que visam levar o cliente ao seu objetivo. Sempre que falamos de Coaching é preciso pensar em resultado, objetivo! O processo visa ampliar os horizontes do cliente para que saia do “cenário atual” do presente (ponto A) e chegue ao “cenário desejado”, seu objetivo (ponto B).

O processo tem uma duração determinada, ofereço pacotes de 12 e 16 sessões. Dentro deste período irei acompanhar a sua evolução no caminho de seu objetivo!

Um Psicólogo e Coach pode oferecer aos seus clientes uma visão especializada, direcionando cada caso para um cuidado específico. Há clientes com demandas para Terapia, outros com indicação para Coaching. Neste tipo de caso, a experiência e a habilitação para atuar em ambas as profissões é fundamental, caso contrário o cliente pode não ter a sua demanda bem acolhida. Sou Psicólogo e Coach com duas formações na área: Professional and Self Coach formado pelo IBC (Instituto Brasileiro do Coaching) e em formação em Coaching Psychology (Psicologia do Coaching) pela Academia do Psicólogo. Trabalho com Terapia e com Life Coaching (Coaching de vida).

Minha missão como Coach é oferecer olhar e cuidado para que os meus clientes catalisem suas intenções em ações efetivas e sustentáveis! Como Coach tenho o papel de apoiar, potencializar, ampliar, motivar, acompanhar e extrair o que meus clientes tem de melhor!




O processo de Coaching tem começo, meio e fim. Ao final do processo temos sempre em vista o resultado, o objetivo do cliente concretizado. 

Coach, coachee, coaching, o que significa??

É muito comum que esses termos possam parecer confusos à uma primeira vista, mas acompanhe o que significam: 
Coaching é a técnica de trabalho; 
Coach é o profissional que trabalha com o Coaching; 
Coachee é o cliente que passa pelo processo; 
Coaches é o plural de Coach; 
Coachees é o plural de Coachee. 

Quais os tipos de Coaching existem?

No meu caso, como já trabalho há muitos anos no consultório, ofereço serviços de Life Coaching. Porém, há outros nichos em que o Coach atua, dentro e fora das empresas como o Coaching de liderança, de negócios, carreira e financeiro.

Dentro do Life Coaching podemos trabalhar com uma infinidade de assuntos, inclusive alguns relacionados também à carreira. Como por exemplo: alavancar o desempenho na faculdade; passar em um concurso público ou mesmo se recolocar no mercado de trabalho. Para todos eles a abordagem é a mesma: foco no OBJETIVO do cliente. O Coach irá extrair ao máximo o potencial de seu cliente para que ele tenha possibilidade de alavancar seu desempenho e atingir seu Objetivo! 

Coaching é diferente de Terapia?

Sim, a diferença básica está na duração e no foco no Objetivo (futuro). A Terapia, não necessariamente tem uma duração pre-determinada, e é mais direcionada a questões de ordem emocional, que muitas vezes tem origem no passado e só pode ser aplicada por Psicólogos! Já o Coaching tem o cuidado em focar as ações e estratégias voltadas para o futuro, no Objetivo do cliente! Fazer Coaching com quem é Psicólogo tem essas vantagens, pois temos uma visão especializada da saúde emocional!

Como funciona um processo de Coaching?

Para um processo de sucesso é fundamental que o cliente tenha certeza de estar contratando um serviço que irá atender suas expectativas. Para tanto, fazemos uma sessão inicial para avaliar a demanda do cliente, para que possamos oferecer um trabalho personalizado e que prime pelo seu objetivo. Em alguns casos, há indicação de primeiro fazer Terapia e depois o Coaching. Por isso é tão importante passar por essa avaliação inicial!

Após esse primeiro contato, deixamos o cliente à vontade para pensar sobre o que conversamos e marcamos um próximo atendimento para semana seguinte. Neste ofereço o pacote que melhor irá atender seu objetivo.

Com o processo contratado e tudo esclarecido iremos direto para a delimitação do objetivo. Este tem que ser muito claro e plausível. Meu trabalho como Coach será direcionar o trabalho para que meu cliente possa alcançar resultados extraordinários!

Nas primeiras sessões faremos um levantamento de seu “cenário atual”, que chamamos de ponto A (presente). Será possível observar desde o começo quais pontos de sua vida estão mais estáveis e quais precisam de mais cuidados. Sempre lembrando em focar no Objetivo!

No decorrer das sessões, iremos traçando metas de curto prazo e que o aproximem cada vez mais de alcançar o seu objetivo. Dentro do planejamento do processo, iremos trabalhando também quais são os seus maiores sabotadores e quais comportamentos limitam o seu potencial.

Na fase final do processo de Coaching é feito um apanhado de sua evolução durante todo o trabalho, de como foi ter o seu Objetivo alcançado e tudo o que foi possível aprender durante esse período. 

Qual é a duração de cada sessão? 

Cada sessão tem duração de até 1h30m e são feitas em meu consultório em Curitiba. Caso o cliente não esteja na cidade por um motivo qualquer, podemos realizar a sessão de Coaching on-line, pelo Skype por exemplo.

Quais as formas de pagamento?

Aceito pagamentos em dinheiro, cheque, depósito no Banco do Brasil, cartões de crédito e débito Visa e Mastercard. Em cheque ou no crédito o pagamento pode ser parcelado em até 4x sem juros, ou em até 12x com acréscimo. 
Você fornece recibo ou nota fiscal?

Forneço nota fiscal através de meu CNPJ, constando como “Prestação de serviços de Coaching – Treinamento e desenvolvimento”.

Qual é a duração de um processo de Coaching?

Um processo de Coaching de 12 sessões dura de 6 a 7 meses, dependendo é claro de cada caso e do espaçamento entre as sessões.

Um exemplo de como as sessões podem ser distribuídas: as 4 primeiras são semanais, uma por semana, o que levaria um mês. Depois fazemos mais 4 quinzenais, o que daria dois meses. E ainda mais 4 sessões mensais, uma por mês, o que daria quatro meses.  Neste caso totalizaria 12 sessões.

Ofereço ainda um processo com duração de 16 sessões que dura entre 8 e 11 meses. Aconteceria da mesma forma como o de 12, mas com 4 sessões a mais. 

Há algum acompanhamento durante o período entre sessões?

Esse é um ponto importante. Coaching só é Coaching se buscar um resultado. Portanto, durante os períodos entre sessões o cliente é convidado a trocar mensagens, e-mails ou breves telefonemas para esclarecer algum ponto ou receber alguma tarefa. Atualizar o Coach sobre sua evolução é fundamental.

Entre as sessões iremos estipular metas de curto prazo a serem cumpridas, as famosas tarefas. Essas são de fundamental importância que sejam acompanhadas pelo Coach. É de responsabilidade do cliente ir atualizando o Coach a quantas andam o cumprimento das metas.

Você tem esse desejo? Quer vencer? Passar por um processo de Coaching pode te ajudar a alcançar o seu Objetivo e alcançar resultados extraordinários!! 

Ligue agora e marque a sua avaliação!
41 – 3093-6222
ou me mande um e-mail
atendimento@psicologoemcuritiba.com.br



Leonardo Fd Araujo CRP 08/10907
Psicólogo e Coach
Tel: 3093-6222

Rua Padre Anchieta, nº 1923, sala 909
Bigorrilho – Curitiba

sera-2Bque-2Bpreciso-2Bde-2Bum-2Bpsicologo-2Bem-2BCuritiba-2Bqualidade-2Bde-2Bvida

Será que preciso de um Psicólogo?

  • Artigo publicado em: 22 abril, 2017
  • Categorias:
Para começarmos a responder essa questão, vou devolver outras: será que preciso cuidar dos meus dentes? Será que preciso cuidar do meu corpo? A resposta para ambas perguntas é: SIM, correto?
 
Agora vamos lá, e as suas emoções e seus aspectos psicológicos, como é que andam? Todos nós precisamos cuidar de nossa mente, pois é a partir dela que desenvolveremos estratégias para lidar com as dificuldades do dia a dia de maneira clara e objetiva.
 
Culturalmente temos uma grande tendência a cuidar muito do corpo e acabamos deixando de lado o que o ser humano tem de mais sublime: nossa mente.
 
O trabalho do Psicólogo na Psicoterapia tem objetivos claros: cuidar dos aspectos emocionais e melhorar a qualidade de vida dos clientes, estabelecendo uma nova forma de se relacionar com o mundo.

 

Os casos que atendo são os mais diversos. Casos de divórcio, mudanças de emprego, ansiedade, depressão, dificuldades de falar em público, medo de estabelecer contatos, dificuldades de relacionamento, vida amorosa com altos e baixos, vício em internet, dependência de smartphones, problemas relacionados à internet e redes sociais. Para todos eles, sempre busco trabalhar a evolução, a melhora da qualidade de vida e o estabelecimento de objetivos e metas
 
Por exemplo: uma jovem que está com dificuldades de relacionamento no trabalho. Vamos primeiro buscar quais são essas dificuldades. Em seguida começaremos a traçar estratégias e colocaremos alguma meta a ser atingida, como por exemplo apresentar uma ideia nova à chefia. Ou mesmo manter contatos com outros setores da empresa. Desta forma começam a serem quebradas as barreiras, e o cliente vai sentindo-se capaz de desempenhar tarefas até então impossíveis.
 
A Psicoterapia tem um começo, um meio e um fim. Busco trabalhar com bastante energia para que a saúde emocional dos meus clientes fique fortalecida e que seja estabelecida uma autonomia. Esses são os dois maiores tesouros que podem ser encontrados durante uma Psicoterapia: se fortalecer emocionalmente e criar uma autonomia

Algumas perguntas frequentes sobre psicoterapia: 

 

Como é uma sessão de Terapia?
 
O cliente chega e logo começamos a conversar. Temos técnicas para deixar o cliente à vontade, criamos um espaço seguro para que fale tudo o que tiver vontade. Sobre o que o trouxe até meu consultório, se já fez terapia antes, se está confortável para começar a contar sua história. A Psicoterapia é um lugar para o autoconhecimento, sem julgamentos ou preconceitos.  

Qual a diferença entre Terapia e Psicoterapia?

A Psicoterapia é um conjunto de técnicas utilizadas por nós psicólogos para o atendimento de nossos clientes. Essas técnicas variam conforme a formação do profissional e o público atendido (individual, casal, família, grupos), porém todas caminham para uma mesma direção: trabalhar com o ser humano e proporcionar um espaço de autoconhecimento aos clientes. Basicamente, podemos dizer que Terapia é um sinônimo de Psicoterapia no contexto do atendimento clínico de um profissional de Psicologia.


Sigilo profissional
 
“- Os psicólogos não podem contar para outras pessoas o que ouvem de seus clientes? Nem para amigos ou parentes dos clientes?”
 
É verdade, nós Psicólogos temos um contrato de sigilo com todos nossos clientes. O que for conversado em sessão será mantido em segredo. O que pode acontecer é que um caso mais complexo seja tratado na supervisão pessoal do profissional. Durante essa supervisão conversamos com outro colega psicólogo, geralmente com mais tempo de profissão, e discutimos o caso. Porém, sempre que isso ocorre é mantido o sigilo com relação ao nome ou qualquer outro dado que possa identificar o cliente. 



Vergonha de falar sobre um assunto

“- Tenho vergonha de falar sobre o que está me motivando a fazer terapia, isso pode prejudicar o trabalho?”
 
Isso é muito comum durante a Psicoterapia. Alguns assuntos são muito delicados e leva algum tempo até que o cliente tenha confiança e segurança para contar ao Psicólogo. De qualquer forma, é importante usar o tempo de sessão de forma construtiva, reforçando outros pontos e deixando os mais delicados para mais adiante. “A ordem dos fatores não altera o produto”.
 
 
Tempo de Psicoterapia
 
“- Soube que uma terapia pode durar meses e até anos, isso é verdade?”
 
Sim, é verdade. Tudo vai depender da questão inicial e até onde o cliente quer chegar. Há ainda o diferencial sobre a linha terapêutica que cada profissional trabalha. Em minha experiência clínica as Psicoterapias mais curtas duram poucos meses e as mais longas podem chegar até 5 anos, mas as mais longas são a minoria. Questões pontuais são mais rápidas de trabalhar, quando é algo mais profundo o trabalho pode se prolongar.  
 
 
Eu preciso de um Psicólogo? Eu não sou louco!
 
Essa é uma frase que ouço com certa frequência em meu consultório. Quase sempre vem de pessoas que nunca tiveram contato com um profissional da área, ou que não receberam informações suficientes sobre o serviço prestado por um Psicólogo. Aqui trabalho com a história de vida de cada cliente, posso garantir que é um momento único! Permitir-se experimentar fazer Psicoterapia é algo realmente especial. 
 
Para esta questão há uma frase muito interessante do Albert Einstein:
“A forma mais pura de insanidade é fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes.” Ou seja, se não fizermos algo para mudar a equação de nossas vidas, de nossa história, teremos sempre o mesmo resultado.
 
 
Falta de tempo para fazer Terapia
 
“- Ah Leonardo, mas eu não tenho tempo para isso! Tenho uma agenda super corrida!” 
 
Vejamos então: uma semana tem 168 horas, que tal investir 50 minutos por semana para cuidar de sua mente? Essa é a duração de uma sessão de Psicoterapia. Pode-se marcar um horário para o final do expediente, por exemplo, sem nenhum prejuízo para o seu trabalho! Há ainda a possibilidade de realizar a Psicoterapia a cada 15 dias. É um formato que pode se encaixar perfeitamente em alguns casos. 
 

 

Invista na sua qualidade de vida e em seu bem estar! 
Procure um Psicólogo!
 
 
 
Leonardo Fd Araujo CRP 08/10907
Psicólogo e Coach
Tel: 3093-6222Rua Padre Anchieta, nº 1923, sala 909
Bigorrilho – Curitiba
Life-2BCoaching-2BLeonardo-2BFd-2BAraujo-2BPsicologo-2Be-2BCoach-2Bem-2BCuritiba

Coaching de vida? Para que serve?

  • Artigo publicado em: 26 janeiro, 2017
  • Categorias:

 

 
Quando falamos de Coaching de vida ou Life Coaching, estamos tratando aqui questões relacionadas à vida prática do Coachee, como por exemplo a rotina diária. Neste espaço temos a possibilidade de trabalhar diretamente com as habilidades para este fim. Desde um propósito de uma melhor organização da vida diária até uma mudança de rotina, são questões que podem ser abordadas neste nicho. 
 
O Coaching de vida é um processo estruturado com começo meio e fim. Para tanto, temos uma diversidade de ferramentas, técnicas elaboradas e um Coach credenciado e habilitado para desenvolver o trabalho, sempre com o direcionamento voltado ao objetivo do Coachee. O acompanhamento contínuo é um ponto importante do Coaching de vida, uma vez que o processo não conta com terceiros, os participantes são apenas o Coach e o Coachee. Através de um planejamento prévio, o Coach pode lançar mão de diversas abordagens que visam aprimorar potencialidades do cliente, visando o seu crescimento e o encontro com a “melhor versão de si mesmo”. É um processo cujo cerne está em tornar o cliente mais motivado, e até mais preparado para tomar as rédeas de sua vida, e junto a isso atingir o seu estado desejado. No Coaching de vida a preocupação com motivações anteriores ou vida pregressa acaba tendo uma importância bastante reduzida. O maior interesse está no foco no futuro, no objetivo específico e delimitado. Por isso a vida pregressa acaba tendo menor importância. A ideia é que a cada sessão o cliente esteja mais perto de atingir o seu objetivo, que saia com tarefas e ideias de como, quando, onde e por que realizar determinada meta. 
 
Desta forma, o Coaching de vida é direcionado a pessoas que conseguem dar razoável a bom prosseguimento em suas vidas, mesmo que aja algum nível de sofrimento envolvido. É importante ressaltar determinadas questões técnicas, pois passamos por um limiar muito tênue entre Coaching e Psicoterapia. Neste e em outros nichos o Coach deve primar pela delimitação do objetivo do cliente e aplicar ferramentas e técnicas que o auxiliem a identificar quais são suas metas. Encorajar o Coachee a utilizar ao máximo o seu potencial latente e suas competências. Sendo assim, estaremos auxiliando no desenvolvimento de habilidades comportamentais, sempre voltadas para metas estabelecidas com o Coachee. E claro, como já dito, o foco estará direcionado ao futuro, ao objetivo de nosso cliente.
 

É importante, porém, ressaltar um pouco mais a importância de conhecer os limites da prática do Coaching, em pesquisas realizadas por Green, Oades e Grant (2006) e por Spence e Grant (2005) levantaram que na população estudada, de 25% e 50% das pessoas que procuraram um Coach para realizar um processo de Coaching de vida  apresentavam níveis significativos de psicopatologia. Este dado é preocupante e levanta diversas questões éticas, pois há sim uma parcela do público que não é indicada a ser atendida por um Coach que não seja Psicólogo. 

Este é mais um diferencial que lhes apresento, por possuir formação nas duas áreas: Psicologia e Coaching, é possível oferecer um serviço com muito mais qualidade e de forma personalizada. Quem me procura para realizar um processo de Coaching primeiro passa por uma avaliação. Nesta, o cliente tem a possibilidade de apresentar a sua demanda, conhecer melhor os meus serviços e ainda é possível perceber se seu caso é para Coaching ou Terapia. Só após a avaliação inicial é que damos início ao processo.

Dúvidas ou sugestões, fique à vontade para comentar!


Fontes: 
Green, L. S., Oades, L. G., & Grant, A. M. Cognitive-behavioural, solutionfocused life coaching: Enhancing goal striving, well-being and hope. Journal of Positive Psychology, 1, 142-149. 2006.

Spence, G. B.; Grant, A. M. Individual and group life-coaching: Initial findings from arandomised, controlled trial. In: M. Cavanagh, A. M.; Grant T. Kemp (Eds.). Theory, research and practice from the behavioural sciences. V. 1, p.143–158. 2005.
Leonardo Fd Araujo CRP 08/10907
Psicólogo e Coach
Tel: 3093-6222Rua Padre Anchieta, nº 1923, sala 909
Bigorrilho – Curitiba

>